Na escola de Imã Hussein (S.A)-VIII (especial para os primeiros dez dias de Moharam)

  • Código da notícia : 784969
  • Font : parstoday
Brief

Depois que os demais membros da família do Profeta foram martirizados, e não sobraram outros membros da família do Imã Hussein(A.S.), senão os seus irmãos paternos. Estes tinham como seus bens maiores as suas vidas, que ofereceram ao seu líder, o Imã Hussein (A.S.).

O irmão mais velho entre todos eles era Abul Fadhl al-Abbas ibn Ali ibn abi Taleb, que disse aos demais irmãos: “Se apresentem meu irmãos, para que vejam vocês realizando a ordem de Deus.” E assim, os jovens atenderam ao chamado e se apresentaram.

Abass, era o mais verdadeiro, sábio e fiel entre os irmãos do ImãHussein(A.S.). Ele era o exemplo do temor a Deus, conhecimento divino, sacrifício, coragem, irmandade, força e determinação contra os inimigos de Deus. Sua idade até o dia de Ashura era de 36 anos. Seu pai, o príncipe dos fiéis ImãAli ibn abi Taleb (A.S.) disse sobre ele: “O meu filho Abbas compreendeu o conhecimento e o dominou por completo.” Era o mais sábio e o mais virtuoso entre os companheiros e os Ahlul Bait do ImãHussein(A.S.). Era um ótimo montador de cavalo, rápido em suas respostas e alto, e por isso recebeu a tarefa de carregar a bandeira do exército do ImãHussein(A.S.). Recusou-se a se render juntamente com seus irmãos quando Shemr propôs isto a eles.

Viveu ao lado do seu pai por quatorze anos, ao lado do seu irmão Imã Hassan (A.S.) por vinte e cinco anos e ao lado do seu irmão Hussein (A.S.) pelos anos restantes de sua vida. Participou com seu pai, o Imã Ali (A.S.), em algumas guerras, como a guerra de Jamal, Seffin e al-Nahrawuan, mas ele não chegou a combater nelas.

Ele dava cobertura ao seu irmão Imã Hussein(A.S.) quando o Imã(A.S.) entrava no campo de batalha para retirar os corpos dos mártires. Por isso, foi Abbas quem mais atacou no campo de batalha. O Imã Ali (A.S.) o chamava de al-Sagha( o distribuidor de água).

O Imã Zeinol Abedin Ali ibnol Hussein (A.S.) disse: “Que Deus seja misericordioso com o meu tio Abbas, ele combateu os inimigos e serviu da melhor forma ao seu irmão até ter seus braços cortados. E então, Deus, o Altíssimo, os substituiu por duas asas que fizeram-no voar junto com os anjos no paraíso, como as asas de Jafar ibn abi Taleb... Abbas possui uma posi­ção perante Deus que irá guiar todos os mártires no Dia do Juízo Final.”

Quando viu a solidão do seu Irmão, o Imã Hussein(A.S.) depois que todos os seus companheiros e familiares tinham sido martirizados, ele pediu permissão ao seu Imã(A.S.) para lutar. O Imã Hussein(A.S.) disse com tristeza: “Tu é o carregador da minha bandeira! O comandante do meu exército!” Como se o Imã Hussein(A.S.) sentisse a presença de um exército por inteiro na existência de Abul Fadh al-Abbas. Abbas respondeu ao seu irmão: “O meu peito está cheio destes hipócritas e desejo me vingar deles.” O Imã Hussein(A.S.) pediu a ele que trouxesse água para as crianças. Abbas se dirigiu ao inimigo e os aconselhou sobre a ira de Deus pela atitude deles, dizendo a Omar ibn Saad: “Este é o Hussein, filho do Mensageiro de Deus, do qual os companheiros e familiares vocês mataram, as suas crianças e mulheres estão com sede. Então deem de beber a eles, pois a sede está queimando seus intestinos. E mesmo assim, ele não deseja lutar com vocês, e solicita que o deixem em paz.” Neste momento, Shemer ibn dhil Jaushan o respondeu: “Ó filho de Abi Turab, mesmo se toda a face da terra fosse de água e estivesse em nossas mãos matar a sede de vocês, jamais iríamos fazer isto por vocês, somente se se submeterem fidelidade a Yazid.”

Abbas retornou ao seu irmão e disse a ele a resposta do inimigo, e enquanto isso ouvia os gritos das crianças e das mulheres que estavam morrendo de sede. Então, ele subiu em seu cavalo pegou um cantil e se dirigiu ao rio. Quando chegou perto do rio foi cercado por centenas de soldados do inimigo e foi atacado por flechas e lanças, mas com determinação e força conseguiu se livrar deles até que eles recuaram. Neste momento ele continuou seu caminho rumo ao rio e chegou como se estivesse com o coração em brasa devido a tanta sede. Ele encheu as palmas das mãos com água, mas quando estava pronto para beber lembrou-se da sede das crianças e mulheres, e da sede do seu irmão, Imã Hussein(A.S.). Assim que ele se lembrou disso jogou a água fora e recitou a seguinte poesia:

Ó alma, depois do Imã Hussein(A.S.) nada mais irá valer;

E depois do Imã Hussein(A.S.) tu jamais existirás;

Este é Hussein (A.S.) que está a beira da morte;

E você tomou a agua gelada?

Por Deus, não é isto que a minha religião me ensinou.

Esta é uma lição para toda a humanidade, algo que jamais se limita a um tempo ou a um local. Qual sacrifício é mais nobre do que este exemplo? Ab­bas estava com sede, mas não tomou a água? Sua educação e sua ética jamais deixariam que ele tomasse a água no momento que seus familiares estavam morrendo, sendo atingidos por uma sede brutal. Este atributo é o mais famoso de Abul Fadhl al-Abbas, pois sua alma se misturou com a alma do seu irmão, e seu espírito se inspirou com espírito do Imã Hussein(A.S.).

Ele encheu o cantil e se dirigiu ao seu acampamento, ao mesmo tempo lutava contra os soldados do inimigo com bravura e determinação. De repente, um soldado do inimigo, cujo nome era Zeid ibn al-Roqad al-Juhani, veio por trás de uma árvore e com sua espada cortou o braço direito de Abbas. Porém, Abbas não apresentou fraqueza e continuou sua luta, sendo que ao mesmo tempo dizia as seguintes palavras:

Por Deus, mesmo se cortarem meu braço direito;

Jamais deixarei de proteger a minha religião;

E a do Imam, verdadeiro e determinação;

O filho do purificado e sucessor dos Profetas;

A grande preocupação de Abbas era entregar a água em paz ao Imã Hussein(A.S.) e sua família. Enquanto ele se defendia e defendia o cantil que continha a água, um outro soldado do inimigo, chamado Hakim ibn al-Tufeil al-Ta´i, surgiu por trás de uma outra árvore e o atingiu no braço esquerdo, decepando-o também. Dessa forma, Abbas segurou o cantil com os seus dentes, já que estava com ambos os braços cortados. O sangue escorria em seu corpo, mas ele não se enfraquecia, ao contrário, demonstrava coragem e determinação para com o seu objetivo, levar a água ao acampamento do Imã Hussein(A.S.), já que antes de sair tinha prometido às crianças que iria trazer água para todos que ficariam à sua espera.

Dirigia-se rapidamente ao acampamento do Imã Hussein(A.S.), e en­quanto isso, o cantil foi atingido por uma flecha do inimigo, derramando toda a água sobre o chão. Abbas ficou muito abalado e triste, e neste momento um terceiro soldado do inimigo o atingiu na cabeça com uma barra de ferro. Neste momento ele caiu sobre o chão e gritou com toda a força: “Que a paz esteja contigo, ó meu irmão, ó Aba Abdillah”.

O Imã Hussein(A.S.) escutou o seu grito e veio a ele rapidamen­te, ficou parado sobre o corpo do seu irmão, que estava em seus últimos momentos de vida e dava seus últimos suspiros. Hussein (A.S.) se jogou sobre o irmão dizendo: “Agora eu foi derrubado sem ter mais forças.”Quando ele (A.S.) viu Abbas naquela situação, com os braços cortados, banhado em sangue e com uma flecha em seu olho, queria carregá-lo até o acampamento, mas Abbas não quis que isto fosse feito, pois ele tinha prometido levar água para as crianças e estava envergonhado por não ter conseguido, e também por estar sentindo que a sua hora estava próxima. Hussein (A.S.), com tristeza e pesar, deixou Abbas em seu lugar, e logo em seguida o mesmo faleceu na beira do rio. O Imã Hussein(A.S.) retornou sozinho para o acampamento, enquanto secava suas lágrimas e chorava pelo martírio do seu irmão foi recebido pela sua filha Sukaina, que perguntou a seu pai: “Ó meu pai, onde está o meu tio?” Imã Hussein(A.S.) se lamentou com a menina pelo martírio do seu tio. E a sua irmã Zai­nab, quando soube do martírio do seu irmão Abbas, colocou sua mão sobre o seu coração abalado e exclamou: “Ó meu irmão! Ó Abbas! Que destino nos aguarda depois de ti!” O Imã Hussein(A.S.) compartilhava com a sua irmã de sua tristeza e disse: “Estamos perdidos depois de ti, ó meu irmão”. O Imã Hussein(A.S.) pedia à sua irmã que tivesse paciência e confiança em Deus. Realmente, depois do martírio do seu irmão o Imã Hussein (A.S.) sentiu a solidão verdadeira, Abbas sempre demonstrou ao seu irmão atributos nobres e humanos.

Que a paz esteja sobre ti, ó Abul Fadhl al-Abbas, a sua tradição pura se transformou em uma lição que viaja no tempo e inspira homens de todas as terras. Tu foste o mais virtuoso entre os mártires, então adeus ó herói de Karbala, adeus ó exemplo de irmandade, adeus, até o dia do encontro no paraíso. Que a paz esteja contigo, no dia do seu nascimento, no dia do seu martírio e no dia em que retornará e será julgado por Deus.

 308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
O Perdão

O Perdão