Eleições no Líbano marcadas por grande abstenção

Eleições no Líbano marcadas por grande abstenção

A participação nas eleições no Líbano, as primeiras em nove anos, foi de 49%, contra os 54% das eleições legislativas de 2009, disse o ministro do Interior, Nohad Machnouk.

Aelevada abstenção acontece numa altura em que o país tem uma nova lei eleitoral, baseada na representação proporcional, adotada no ano passado.

"Esta lei devia, portanto, gerar uma taxa de participação mais elevada do que em 2009", disse o ministro.

No entanto, e apesar dos apelos ao voto, foi a fraca participação que marcou as eleições, num país com uma corrupção endémica e uma economia estagnada.

Num dia também marcado por conflitos dentro e à volta das assembleias de voto o Presidente, Michel Aoun, apelou aos eleitores para que votassem, num discurso na televisão uma hora antes do encerramento das urnas, afirmando: "Se você quer mudar deve exercer o seu direito" de voto.

No entanto a baixa afluência, entre 30 a 40% nos distritos de Beirute de acordo com a agência nacional de notícias do Líbano, mostrou a apatia dos eleitores em relação às principais correntes políticas no país e deixou em aberto a possibilidade de outros candidatos conseguirem um lugar no parlamento.

Foram chamados a votar cerca de 3,6 milhões de eleitores.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016