Milhares palestinos marcham em territórios ocupados contra o projeto de proibição de "muezim" de Israel

  • Código da notícia : 817345
  • Font : parstoday
Brief

Milhares de palestinos tomaram parte em protestos contra uma controvertida lei israelense destinada a silenciar a chamada muçulmana à oração.

No sábado, cerca de 3 mil pessoas se reuniram na cidade de Cabul, nos territórios ocupados, onde cantavam slogans contra o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e continham cartazes que diziam "A lei do almuezzin não vai passar" ou "Não silencie o muezzin".

"Continuaremos a somar os nossos apelos à oração, aumentaremos o volume dos nossos muezzins", disse um clérigo local. Na quarta-feira, o parlamento israelense, o Knesset, deu sua aprovação preliminar ao projeto "muçulmano", que proibiria que os chamados muçulmanos à oração fossem anunciados por alto-falantes em mesquitas na Palestina ocupada. Os palestinos marcham na cidade palestina de Cabul durante uma manifestação contra a legislação israelense planejada para silenciar as mesquitas em 11 de março de 2017.

" Esta lei é proibida Uma forma avançada de incitamento racial contra os palestinos”, disse o Ministério de Relações Exteriores palestino em uma declaração anterior.” Incentiva a disseminação do ódio entre os seguidores das religiões divinas na Palestina - é contra a cultura da tolerância e da paz”, Se a lei for aprovada, será aplicada em Jerusalém Oriental al-Quds e no resto dos territórios palestinos ocupados além da mesquita de Al-Aqsa A Mesquita de Al-Aqsa é o terceiro local mais sagrado para os muçulmanos depois de Masjid al- Haram em Meca e Masjid al-Nabawi em Medina.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
O Perdão

O Perdão