Relatório: Erdogan se sente traída pelo turco presidente dos EUA

Relatório: Erdogan se sente traída pelo turco presidente dos EUA

Presidente turco, Recep Tayip Erdogan, se sente traído por Estados Unidos depois que Washington decidiu armar os curdos sírios.

Erdogan sentiu que, seis anos após o seu país encorajou a destruição da Síria através da promoção de conflito e apoio a grupos terroristas, como um esforço que trouxe mais insegurança, a desaceleração na economia nacional e desconfiança de vizinhos da Turquia, informou neste sábado o diário independente Al-Rai Yaoum.

Adicionando a estes problemas, Erdogan agora enfrenta uma dura realidade: os Estados Unidos decidiram armar os curdos sírios, sob a alegação de lutar contra grupo terrorista Daesh. Washington anunciou armar o curdo para "tomar a cidade de Al-Raqa que está controlada por terroristas Daesh".

Segundo o jornal, tudo isso é "uma faca de um envenenado plano no coração de Erdogan". Apoio militar dos EUA os curdos da Síria que inclui tanques, veículos blindados, artilharia pesada e escavadeiras, mísseis anti-tanque e armas ligeiras não se destina a armar grupos de combatentes, mas para criar um "exército regular" para apoiar a formação de um estado curdo na fronteira sírio-turca.

Erdogan se sente, então, frustrado, decepcionado e, acima de tudo, traído por EUA que ele claramente escolheu os curdos em vez do que a Turquia, um membro da Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO), aponta o jornal.

Com o seu apoio, diz a publicação, EUA e seus parceiros ocidentais procuram provocar o desmembramento de países do Oriente Médio após o acordo Syke-Picot de 1920 e dividir a região para tentar assegurar a hegemonia do regime sionista.

Erdogan não só alcançou o seu sonho de ressuscitar o Império Otomano, como tenta rejeitar e condenar seus vizinhos árabes, mas vai encontrar talvez o que ele mais temia o surgimento de um Estado curdo na fronteira com a Turquia na Síria como talvez no Iraque, onde os curdos querem um referendo sobre a autodeterminação.

Erdogan pouco pode fazer para evitar o surgimento de um Estado curdo, que certamente seria uma ameaça à segurança nacional da Turquia, onde um terço do território é povoado por curdos, muitos dos quais aspiram à independência.

308


Conteúdo relacionado

Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Quds cartoon 2018
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016