Lula anuncia que é "candidatíssimo" às eleições presidenciais de outubro

Lula anuncia que é

O ex-Presidente brasileiro Lula da Silva anunciou, através de um recado enviado desde a cela na Polícia Federal de Curitiba, onde está detido há exatamente há um mês, que é "candidatíssimo" às eleições presidenciais de outubro próximo.

"Pediu-me que enviasse um recado aos jornalistas e os avisasse que é candidatíssimo", afirmou o ex-frade franciscano Leonardo Boff, um dos expoentes da Teologia da Libertação, depois da visita que fez hoje a Lula, um seu "velho amigo", que lidera todas as sondagens para as próximas eleições presidenciais.

"Lula avisou que só renuncia à candidatura no dia em que (Sérgio) Moro (o juiz que o condenou) apresentar uma única prova de que é o dono do apartamento; que enquanto, não houver provas, continua a ser candidato, porque quer voltar a governar para favorecer os pobres", acrescentou Boff, que teve de esperar vários dias até ser autorizado a visitar o ex-chefe de Estado.

Sérgio Moro deu por provado que Lula recebeu um apartamento de três pisos numa praia do Estado de São Paulo como suborno por ter favorecido a construtora OAS com contratos com a petrolífera estatal Petrobras.

Além da sua prisão para cumprir a condenação de 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro e de outros seis processos penais que enfrenta, a candidatura de Lula está ameaçada por uma lei que inabilita eleitoralmente condenados em segunda instância.

Apesar de esta inabilitação, o Partido dos Trabalhadores (PT), a formação que Lula fundou e lidera, já garantiu que vai inscrever a sua candidatura presidencial em agosto.

O partido pretende também apresentar recursos no Tribunal Superior Eleitoral e no Supremo Tribunal Federal, para que lhe seja possível disputar as eleições, apesar de condenado em segunda instância, isto é, inabilitado.

Boff deu a entender que Lula não considera isto como um obstáculo e afirmou que Lula lhe pediu para dizer que é candidato e que, se vencer as eleições, vai repetir "as políticas para favorecer os mais pobres" dos seus dois mandatos e que as vai converter em "políticas de Estado".

Segundo este teólogo, o ex-chefe de Estado, apesar de estar isolado numa cela, em que só conversa com a pessoa que lhe leva a alimentação, está muito bem, com "entusiasmo e vigor", e tem tempo para ler e refletir.

Acrescentou que Lula também se disse "muito indignado" com as acusações que lhe fazem e que só pretendem impedir que regresse à Presidência.

"Garantiu que são um monte de mentiras e que quer que provem uma delas para que possa ser realmente condenado. Acrescentou que se alguém disser que lhe entregou cinco centavos, lhe dirá que é mentiroso, porque nunca recebeu nada de ninguém", afirmou.

Segundo Boff, Lula está justamente indignado "pelas falsificações, distorções e mentiras não só para impedir a sua candidatura e debilitar o PT, como também para desmoralizar um projeto (político) que tem uma dimensão social inegável".

Pouco depois da conferência de imprensa na qual o teólogo divulgou o conteúdo da conversa com Lula, a presidente do PT, a senadora Gleisi Hoffmann, divulgou um comunicado no qual explicou por que razão o partido não renuncia à candidatura do seu líder máximo, apesar dos vários obstáculos.

"Conhecemos a sua vida dedicada ao povo brasileiro e conhecemos os vícios, as falas e as arbitrariedades do processo que o condenou. Polícias, procuradores e juízes parciais atuaram com objetivos políticos em cumplicidade com a rede Globo (a televisão com maior audiência) e os grandes meios para retirar Lula do processo eleitoral", afirmou a senadora.

Segundo a parlamentar, o PT está convicto de que a condenação vai ser anulado, o que lhe vai permitir disputar as eleições.

"Se Lula é inocente, se a maioria do povo quer votar nele, se os seus direitos políticos estão garantidos na Constituição, por que não o haveríamos de apresentar como candidato?", questionou a dirigente do PT.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016