Vice-presidente do Uruguai renuncia por gastos de US$ 56 mil no cartão corporativo

  • Código da notícia : 853288
  • Font : br.sputniknews
Brief

O vice-presidente do Uruguai, Raúl Sendic, renunciou ao cargo neste sábado (9). Ele foi flagrado usando cartões corporativos oficiais quando era diretor da petroleira estatal Ancap, entre 2010 e 2013, e também foi descoberto que Sendic apresentava um título acadêmico falso.

"Apresentei ao plenário da Frente Ampla minha renúncia indeclinável à vice-presidência. Comuniquei também ao presidente Tabaré Vázquez", disse o ex-vice-presidente no Twitter.

A Frente Ampla é a coalização de partidos do presidente Tabaré Vázquez e do ex-presidente José Mujica. O Tribunal de Conduta Política da agremiação emitiu uma nota em que disse que as denúncias contra Sendic mostram que ele atuou de um modo "inaceitável no uso de dinheiro público".

Séndic utilizou os cartões de quando era funcionário da Ancap para fazer compras de itens de luxo e outros itens em farmácias e supermercados no Uruguai e no exterior. O gasto total foi de aproximadamente US$ 56 mil, segundo a imprensa local.

Sua gestão à frente da petroleira estatal também foi marcada por denúncias e questionamentos da oposição. 

Segundo a constituição uruguaia, agora a vice-presidência deve ser ocupada pelo membro do Senado da lista mais votada. Hoje este cargo é da senadora Lucía Topolansky, esposa do ex-presidente Mujica.

Para efetivamente sair do cargo, Sendic precisa agora apresentar sua renúncia ao legislativo. 

"Enquanto no Brasil aparecem malas de dinheiro, nós estamos discutindo cuecas, por favor", disse Mujica ao jornal El Observador. Para o ex-presidente, isto mostra que o Uruguai é "fundamentalmente saúdavel" — o que não quer dizer que o país seja perfeito ou pecador.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA

A MENTIRA