Candidatos iranianos vão realizar o terceiro e o ultimo debate coletivo a vivo na TV

  • Código da notícia : 829320
  • Font : parstoday
Brief

Os candidatos presidenciais devem realizar o seu terceiro e último debate precedentes as eleições de 19 de maio.

A sessão começará às 16h30, hora local (1200 GMT), na sexta-feira, e deverá durar pelo menos três horas. Nos últimos dois debates televisivos os participantes abordaram varias questões na natureza politica, econômica, social e cultural e alguns assuntos em destaque como desemprego e a juventude.

O debate vai reunir o presidente em exercício, Hassan Rouhani, o primeiro vice-presidente Eshaq Jahangiri, o prefeito de Teerã, Mohammad-Baqer Qalibaf, o conselheiro de Conselho de expediência do Irã, Mostafa Aqa-Mirsalim, Seyyed Ebrahim Raeisi, o atual guardião do Santuário do Imam Reza, na cidade do nordestino de Mashhad e o ex-vice-presidente da República Mostafa Hashemi-Taba.

Rouhani e o plano de emprego para a Juventude

De acordo com o plano, os jovens não qualificados aprenderiam e ganhariam um terço do salário mínimo percebido durante um curso de estágio de quatro meses. Ao supervisionar o curso, os empregadores poderiam receber e contratar os estagiários se eles achassem adequados, acrescentou.

Rouhani disse que os empregadores seriam então pagos pela administração ao primeiro ano. Se o país continuar a desfrutar de um crescimento econômico de oito por cento como foi o caso no ano passado, disse Rouhani, mais de 900 mil postos de trabalho poderiam ser criados anualmente.

O presidente disse que a questão do desemprego não poderia ser resolvida através de oferecer dinheiro às pessoas e produzir estatísticas, acrescentando que o emprego estava vinculado à confiança popular no futuro do país e a certeza das pessoas de sua paz e segurança.

O Irã, segundo ele, precisava de um executivo-chefe, bem consciente das necessidades do país e da diplomacia mundial. Rouhani afirmou que "para assegurar o mercado mundial de exportação, ele (o mundo) deveria ter confiança duradoura em nós". Relações sustentáveis ​​e diplomacia com o mundo", afirmou.

Aqa-Mirsalim difere

Enquanto isso, Aqa-Mirsalim participou de um programa televisivo, durante o qual ele disse que o Irã começou a sentir a desgraça do desemprego no final do segundo governo de Mahmoud Ahmadinejad, predecessor de Rouhani.

Apesar da saudação de Rouhani sobre as conquistas de seu governo na criação de novos empregos, Mir-Salim disse que os problemas se agravaram sob a sua liderança. "O governo deveria reviver certos empregos principais e de" mãe "para que milhares de outros empregos pudessem ser criados como resultado", afirmou Mir-Salim.

Hashemi-Taba fala da cura

Hashemi-Taba também disse dirigindo a atenção para o investimento na indústria de serviços, especialmente no campo do turismo, será melhor servir para curar o desemprego do país.

Raeisi fala dos meios de subsistência dos professores

Dirigindo-se a um grupo de professores, Raeisi ressaltou o potencial da sua administração que seria o "Trabalho e Dignidade" esforçando para aliviar as preocupações dos professores sobre sua subsistência.

Ele também disse que ninguém deve ser negado educação devido a suas condições econômicas desfavorecidas. Raeisi também referiu a um documento da ONU, denominado a “Agenda de Educação 2030”, elaborado por UNESCO, que traça os objetivos de desenvolvimento para as nações do mundo. O documento, disse Raesi, não foi domesticado e estava em contradição com o documento nacional da educação, acrescentando que a submissão à agenda significaria subordinar o documento nacional delineando a reforma educacional do país para outro plano.


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA

A MENTIRA