Líder iraniano: “Chegará em breve o dia em que realizaremos orações coletivas em Al-Quds (Jerusalém)”.

Líder iraniano: “Chegará em breve o dia em que realizaremos orações coletivas em Al-Quds (Jerusalém)”.

A nossa tarefa é apoiar e defender o Islã e o movimento islâmico, afirma aiatolá Khameni nesta quinta-feira em uma reunião com o ministro sírio de Awqaf, Mohammed Abdul Sattar.

“Provocam xiitas e os nossos irmãos sunitas, pressionam-nos a agir contra o movimento unificador. Aqueles que desempenham esse papel, se não fossem dependentes as politicas de arrogância global, devem ser desconsiderados. Mas, se, como os sauditas, que agem em conformidade com a politica de arrogância global, e procuram discrepâncias entre muçulmanos, devem ser firmemente confrontados” enfatizou ele. "Nós não aceitamos um   xiita que é apoiado por Londres e um sunita que é apoiado pelos EUA e Israel, porque o islã se opõe à infidelidade, opressão e arrogância", acrescentou.

Notando que "a humilhação de algumas nações deriva da humilhação de seus líderes", o aiatolá Khamenei disse: "O inimigo não pode fazer nada contra uma nação digna cujos líderes orgulhosamente sentem a sua dignidade no Islã e em sua identidade".

Ele referiu que a Revolução Islâmica já entrou na sua 4ª décadas, e desde o primeiro dia, todas as primeiras potências mundiais, como os Estados Unidos, a União Soviética, a OTAN e os reacionários da região, uniram-se para eliminar a República islâmica, mas essa revolução permaneceu firme e cresceu.

O Líder Supremo da Revolução Islâmica acrescentou que “O principal significado desta sobrevivência, é que a demanda dos grandes poderes não se tornaria necessariamente concretizada e, se todos nós e os elementos da frente da resistência na região fossemos determinados e firmes, o inimigo não se poderia nos enfrentar”.

Líder considera o presidente sírio como um dos combatentes da linha da Frente da Resistencia. Ele disse que a resistência do presidente sírio Bashar Al-Assad o tornou como uma grande figura da luta. "A Síria está hoje na linha da frente e é a nossa responsabilidade é sustentar e apoiar à sua resistência", disse o aiatolá Seyed Ali Khamenei. Referindo-se ao presidente sírio Assad, o líder supremo disse que o presidente Assad “é visto como uma grande figura de combatente e resistente; ele não hesitou e continuou permanecendo firme; Isso é muito importante para o seu povo”.

O ministro sírio, por sua vez, sublinhou que a República Islâmica do Irã ampliou a frente de resistência contra os poderes arrogantes e os seus complôs contra Teerã, Damasco e Líbano.

"Isso criou uma obrigação importante para nós, porque temos que planejar a libertação de Al-Quds como uma única entidade", disse ele. 

A pedido de Damasco, o Irã vem prestando assessoramento militar às forças do governo sírio que estão lutando contra diferentes grupos terroristas de Takfiri.

308

Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Quds cartoon 2018
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016