Líder pede unidade em face de uma guerra econômica e midiática contra o Irã

Líder pede unidade em face de uma guerra econômica e midiática contra o Irã

Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei alertou para uma massiva campanha de propaganda montada pelas agências de espionagem dos EUA e Israel, juntamente com uma guerra econômica total contra a República Islâmica, e pediu uma unidade nacional mais forte em face de os planos conspiradores dos inimigos.

Ele salientou que inimigos do Irã desencadearam uma guerra econômica e midiática contra o Irã com o objetivo de criar "desespero" e "pessimismo" entre as pessoas.

"Hoje, o sistema islâmico se depara com uma plena guerra econômica, que está sendo conduzida de um quartel de guerra com precisão total e um trabalho árduo", disse o Líder em uma reunião na quinta-feira com membros da Assembleia de Peritos do Irã.

Paralelamente, acrescentou o aiatolá Khamenei, que uma campanha de propaganda midiática está em andamento contra o Irã, que ele considera “importante”. O Líder precisou ainda que a campanha de propaganda midiática contra o país não é "nada de novidade”, mas recentemente ganhou o ritmo. Os serviços de espionagem dos EUA e do regime israelense - apoiados por ricos países árabes da região, na vizinhança do Irã - montaram aparatos para levar adiante a campanha, cujo objetivo é embotar o clima da mídia e da sociedade iraniana, afirmou o Líder. “O objetivo desta guerra é provocar preocupação, decepção, desespero e pessimismo entre o povo iraniano, em relação às credibilidades de instituições do Estado e fazendo exagerar as dificuldades econômicas”, acrescentou o Líder.

O Líder referiu-se à cobertura altamente negativa da mídia sobre a recente queda no valor da moeda nacional do Irã pelos mal-intencionados e perturbadores como um exemplo de tentativas inimigas de enfrentar os problemas econômicos iranianos.

O aiatolá Khamenei pediu ainda maior unidade e convergência nacional na atual conjuntura “sensível”. Essa sensibilidade, acrescenta o aiatolá Khamenei, não é porque os inimigos do Irã são poderosos ou grandes em número. Eles sempre estiveram planejando uma miríade de planos infrutíferos contra o país nas últimas quatro décadas, disse ele.

“A sensibilidade dessas condições se deve ao fato de que o sistema islâmico avançou em um novo caminho e apresentou novos pontos de vista, movendo-se contra a maré do sistema hegemônico”, acrescentou o Líder.

Ele pediu também pediu a todos os lados políticos e sociais no Irã que permaneçam vigilantes diante da nova campanha hostil contra o país, alertando contra qualquer ação que possa alimentar a guerra de propaganda em curso. O Líder também pediu “convergência entre povo e instituições administrativas”, enfatizando que nenhuma administração seria capaz de manter seu trabalho sem o apoio da nação.

“A cura para o problema é trabalhar no sentido de estabelecer uma relação saudável entre a opinião pública e as instituições responsáveis, fazendo comentários e criticar a voz e, ao mesmo tempo, ajudar a administração espiritual e praticamente”, acrescentou.

O povo não deve se perder a confiança no governo, disse o Líder, pedindo mais medidas de fortalecimento da confiança das instituições do Estado para aliviar as preocupações das pessoas.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018