O general Soleimani do Irã: existe evidência de colusão de EUA-Daesh

O general Soleimani do Irã: existe evidência de colusão de EUA-Daesh

O major-general Qassem Soleimani, que comanda a força Quds do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica do Irã (IRGC), forneceu ao Ministério das Relações Exteriores documentos que evidenciam que os EUA estão em aliança com o grupo terrorista Daesh.

Hussein Amir-Abdollahian, assessor especial do presidente do Parlamento iraniano em assuntos internacionais, que anteriormente atuou no Ministério das Relações Exteriores, fez a revelação em um programa na Radiodifusão iraniano, o IRIB.

"Quando eu estava no Ministério das Relações Exteriores, tive uma reunião com o General Soleimani. Ele me deu documentos e me disse para divulga-los", disse Amir-Abdollahian.

O general do IRGC, ele observou: "até me pediu para dizer ao [Ministro das Relações Exteriores [Mohammad Javad] Zarif que não fale com os EUA sobre a região dentro do esquema das negociações nucleares, mas, se fosse necessário, ele pode colocar os documentos na mesa e dizer aos americanos a sua cumplicidade com o Daesh”.

"Os documentos fornecidos pelo General Soleimani continham informações precisas sobre a posição geográfica, o tempo e os detalhes exatos (da colusão dos EUA com Daesh)", disse Amir-Abdollahian. "Quando Mosul no Iraque estava sob a ocupação de Daesh, um avião americano A330 desembarcou no aeroporto de Mosul, os generais americanos saíram do avião e o equipamento militar foi descarregado", ele explicou. "No salão VIP do aeroporto, os generais americanos conversaram com os líderes da Daesh em Mosul durante três horas e 23 minutos e depois embarcaram no avião e voltaram".

"O que eles (americanos) trouxeram para Daesh? Armas e equipamentos necessários e conversaram e acertaram certos assuntos com eles”, disse o funcionário iraniano. Em outros lugares, três helicópteros americanos desembarcaram e entregaram equipamentos militares para figuras destacados da Daesh, acrescentou Amir-Abdollahian. De acordo com a autoridade iraniana, quando os comandantes de Daesh foram presos nos últimos meses, os americanos recorreram a diferentes técnicas de segurança e militares ou mesmo à ONU para que a celebre de Daesh evacuasse sob os pretextos de que as pessoas estavam sob o cerco e havia necessidade de um cessar-fogo.

"Mais tarde, descobrimos que os americanos haviam levado alguns dos membros de Daesh que tinham sido evacuados para o norte do Afeganistão e outra parte a Líbia e para o sul do Iêmen", disse ele.

Líder da Revolução Islâmica, o aiatolá Seyed Ali Khamenei emitiu recentemente um aviso sobre o plano dos EUA de deslocar o Daesh para o Afeganistão. Ao transferir o Daesh do Iraque e da Síria para o Afeganistão, os EUA procuram "justificar a continuação da sua presença na região e criar segurança para o regime sionista", afirmou o líder no final de janeiro.

Daesh começou ofensivas no Iraque e na Síria em 2014, ocupando território nos dois países árabes e estabelecendo um "califado" autoproclamado. Em breve, os exércitos iraquianos e sírios - ambos recebendo ajuda e o assessoramento militar do Irã para retomar o seu território de Daesh. O terrorismo foi gradualmente eliminado de toda a terra que ocupou nos dois países árabes.

O general Soleimani declarou o fim do domínio territorial de Daesh em uma carta dirigida ao aiatolá Khamenei em 21 de novembro de 2017.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016