O Irã continua respeitando o acordo nuclear: disse Zarif

  • Código da notícia : 866049
  • Font : parstoday
Brief

O ministério das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif pronunciou um discurso na conferência internacional para segurança e desenvolvimento sustentável, onde sublinhou que o Irã cumpriu seus compromissos no âmbito da JCPOA e provou seu cumprimento do princípio da não proliferação e do desarmamento nuclear.

A seguir vem o discurso a integra pronunciado por Zarif na conferência internacional para a segurança e o desenvolvimento sustentável em Samarcanda, na Uzbequistão:  .

"Em Nome de Deus, o Compassivo, o Misericordioso

Excelências, Senhoras e Senhores,  .

Gostaria de estender os votos de agradecimentos sinceros a calorosas pela hospitalidade do governo uzbeque e os organizadores da Conferência Internacional sobre Segurança e Desenvolvimento Sustentável na Ásia Central, na bela e histórica cidade de Samarcanda.

A bela cidade de Samarcanda sempre foi funcionou com um vinculo que ligava diversas etnias e comunidades persa, uzbek e tajique.

A cidade também foi uma conexão que liga Oriente a Ocidente através da Rota da Seda e foi considerada como o centro da civilização nos campos históricos e culturais da Ásia antiga, cujas famosas figuras literárias, poetas e estudiosos desempenharam um papel importante na ciência, na arte, cultura e formação da civilização humana.

A segurança no atual mundo interconectado não se limita às dimensões militares, e é uma questão multifacetada, entrelaçada e abrangente. Hoje, não pode comprar segurança com centenas de bilhões de dólares e enviá-lo para o município.

A comercialização de segurança é um novo tópico adicionado por alguns poderes internacionais e trans-regionais a termos políticos e, infelizmente, eles têm bons clientes nesse acordo de dólar por segurança.  .

Hoje, a segurança é uma questão integrada e correlativa em que a segurança de um depende da segurança do outro.  A era da segurança unilateral e a vida em torres de marfim e garantir a segurança baseada no poder militar chegou ao fim desde há muito tempo. Esta é a lição de que os poderes mundiais e os países que procuram criar insegurança, colocando a segurança dos outros em jogo para alcançar sua segurança fabricada, foram bem aprendidos após os acontecimentos no Iraque, Síria, Iêmen e Afeganistão.

Hoje em dia, para alcançar a segurança, todos devem confiar em "pessoas" como o elemento mais importante da segurança de um país para alcançar uma segurança endógena e, em seguida, conseguir uma segurança sustentável e coletiva através de um envolvimento construtivo com os vizinhos.

Desde a independência das repúblicas da Ásia Central, a República Islâmica do Irã sempre foi pioneira no estabelecimento de relações fraternas, amigáveis e equilibradas, baseadas nos princípios do respeito mútuo e dos interesses. A estratégia da República Islâmica do Irã baseia-se no desenvolvimento e fortalecimento da cooperação em vários campos, fazendo esforços para estabelecer e manter a paz e a estabilidade na região, bem como a convergência e a cooperação com as instituições regionais e as organizações internacionais.  .

Nós sempre consideramos a segurança e estabilidade de nossos vizinhos e países da região como nossa própria segurança e estabilidade. Contribuindo para a resolução de disputas e tensões, as colaborações bilaterais de segurança para combater as ameaças comuns do terrorismo de takfiris, do extremismo, do narcotráfico e da imigração ilegal são as manifestações mais importantes da participação ativa e efetiva da República Islâmica do Irã no fortalecimento e consolidação da estabilidade e segurança na região da Ásia Central.

O confronto efetivo com o extremismo e o terrorismo de Takfiri, que representa uma séria ameaça à segurança e à estabilidade da região no oeste da Ásia, Ásia Central, o Cáucaso, o subcontinente indiano e até mesmo as regiões do Norte da África e do Sudeste Asiático, cooperação inclusiva e multilateral, interação, sinergia e consulta de países regionais.

Mais importante do que o confronto militar é o estudo das causas profundas da formação desses movimentos anti-islâmicos e a identificação dos recursos financeiros, dos patrocinadores políticos e das origens ideológicas do terrorismo Takfiri como pré-requisitos para uma luta efetiva e decisiva contra as raízes de terrorismo e extremismo.

A iniciativa Mundial Contra a Violência e o Extremismo (WAVE) de estabelecer uma Zona Livre de Armas Nucleares na Ásia Central é um movimento que mostra uma boa compreensão da segurança. A República Islâmica do Irã não é apenas uma oposição religiosa ao desenvolvimento, produção e uso de tais armas, mas também acredita seriamente que essas armas, por sua vez, prejudicam a estabilidade e a segurança e devem ser eliminadas do mundo. Desde 1974, quando o Irã propôs uma Zona Livre de Armas Nucleares e WMD para o Oriente Médio, o país perseguiu o problema, mas não serve de nada devido às políticas agressivas e hegemônicas do regime sionista de Israel na aquisição de armas nucleares, e o suporte dos EUA a Tel Aviv. 

Ao conquistar o acordo nuclear e cumprir todos os nossos compromissos no âmbito do Plano Integrado de Ação Conjunta (JCPOA), nos últimos 25 anos, a República Islâmica do Irã tentou desempenhar um papel adequado e compartilhado a expansão da cooperação econômica na Ásia Central em diferentes campos, incluindo negócios, energia, investimentos, colaborações bancárias e monetárias e a implementação de projetos de construção. O setor privado do Irã completou dezenas de projetos de desenvolvimento, como represas e hidrelétricas, estradas e ferrovias, explorações minerais e unidades industriais. Nós também fornecemos aos países regionais nossas infraestruturas e capacidades de trânsito no transporte terrestre e ferroviário. 
Finalmente, gostaria de reafirmar que a política de interação ativa e abrangente com os vizinhos é a principal prioridade da política externa da República Islâmica do Irã. 

Congratulamo-nos com a abordagem das Repúblicas da Ásia Central de aumentar a cooperação regional e a política prudente do governo uzbeque de priorizar o reforço das relações com a região. 

Mais uma vez aprecio a calorosa hospitalidade do governo do Usbequistão e os organizadores da conferência e espero que possamos testemunhar o desenvolvimento e a extensão da paz, estabilidade e segurança na Ásia Central em virtude da expansão e reforço da interação e cooperação".

O discurso do ministro Zarif inaugurou a conferência internacional para segurança e desenvolvimento sustentável na Ásia central, sexta-feira, em Samarcanda, no Uzbequistão.
O presidente da Uzbequistão, a alta representante da União Europeia para a Politica Externa e Segurança Federica Mogherini e os ministros dos Negócios Estrangeiros de países regionais, como a Índia e a China, juntamente com alguns funcionários dos EUA, participaram da conferência. 

Zarif durante a sua presença em Samarcanda se reuniu com varias autoridades de outros países, incluindo a Federica Mogherini.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA