O Irã oferece a rota mais curta aos Uzbeques para acessar ao Golfo Pérsico

  • Código da notícia : 853509
  • Font : parstoday
Brief

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, diz que o Irã pode ser a rota mais curta para os empresários da Uzbequistão de acessar ao Golfo Pérsico e as águas internacionais.

Rouhani fez as declarações em uma reunião com o presidente da Uzbequistão, Shavkat Mirziyoyev, à margem da primeira cúpula da Organização de Cooperação Islâmica (OIC) sobre ciência e tecnologia na capital do Cazaquistão, Astana, no domingo.

Ele afirmou que o intercâmbio de visitas entre autoridades iranianas e uzbeques demostram a determinação dos dois países de estabelecer relações mais próximas e mais amplas.

O presidente do Executivo iraniano saudou a expansão da cooperação entre Teerã-Tashkent em todos os campos, particularmente nos setores comercial e econômico, enfatizando que nenhum obstáculo poderia dificultar o desenvolvimento dos laços dos dois países.

Rouhani sublinhou a importância de fazer investimentos conjuntos e disse que melhorar a cooperação bancária é a pedra angular para a promoção de trocas econômicas e comerciais entre o Irã e o Uzbequistão.

Ele disse que os dois países tinham potencialidades necessárias para reforçar a cooperação no setor de energia, acrescentando que Teerã poderia atender às necessidades energéticas de Tashkent.

O presidente iraniano apontando as sucessivas perdas dos terroristas takfiris no Iraque e na Síria nos últimos meses, dizendo: "Hoje, o extremismo e o terrorismo ameaçam toda a região e estamos prontos para cooperar com os países da Ásia Central na luta contra o terrorismo".

O vital corredor de transporte e transito para o Uzbequistão

Mirziyoyev, por sua vez, disse que o Uzbequistão atribuiu um significado especial a um corredor de transporte que conecta seu país ao Golfo Pérsico e outras partes do mundo, acrescentando que os interesses comuns de Teerã e Tashkent poderiam ser atendidos através da cooperação nesta área como Irã também pode exportar seus produtos para os países da Ásia Central através do Uzbequistão.

Ele pediu o fortalecimento da cooperação dos dois países em setores acadêmicos e energéticos, bem como a campanha contra o terrorismo e o extremismo.

O presidente uzbeque também afirmou que seu país apoiou a adesão do Irã à Organização de Cooperação de Xangai (SCO) e convidou seu homólogo iraniano a realizar uma visita oficial a Tashkent.

O SCO foi formado em 2001 em Xangai pelos líderes do Cazaquistão, China, Quirguistão, Rússia, Tajiquistão e Uzbequistão para conter o extremismo na região e melhorar a segurança nas fronteiras. O SCO tinha anteriormente seis membros observadores, nomeadamente o Irã, o Afeganistão, a Bielorrússia, a Índia, a Mongólia e o Paquistão.

O Paquistão, no entanto, foi aceito como membro com pleno direito, da organização na sexta-feira, 9 de junho de 2017. A organização também possui seis parceiros de diálogo, que incluem o Azerbaijão, a Armênia, o Camboja, o Nepal, a Turquia e o Sri Lanka.

"Irã-Cazaquistão na cooperação construtiva em questões globais"

Enquanto isso, em um encontro com o seu homólogo cazaque, Nursultan Nazarbayev, o presidente iraniano salientou que os dois países sempre tiveram uma cooperação construtiva em questões de interesse mútuo e desenvolvimentos internacionais.

Rouhani acrescentou que o Irã saudou a expansão da cooperação com o Cazaquistão em diferentes campos.

Nazarbayev, por sua vez, elogiou grandes conquistas feitas pelo Irã apesar das sanções internacionais contra Teerã e expressou o grande interesse do seu país em desenvolver laços com a República Islâmica.

Os presidentes iranianos e cazaques também pediram uma cooperação reforçada em setores econômicos, de trânsito e energia e pediram esforços conjuntos para melhorar as condições do mercado mundial de petróleo.

As potencialidades do Azerbaijão e Irã devem servir aos seus interesses 

O presidente Rouhani enfatizou que o Irã e a República do Azerbaijão tiveram grandes potencialidades para expandir suas relações nos campos econômico, científico, tecnológico, de transportes, de energia e de comércio, instando ambos os lados a fazer uso dessas potencialidades ao serviço de seus interesses comuns.

Em um encontro com sua homóloga azeri, Ilham Aliyev, à margem da primeira cimeira da OCI sobre ciência e tecnologia em Astana, o presidente iraniano também se referiu ao terrorismo como um problema regional e internacional.

“O terrorismo está se aproximando do seu colapso total na região tomar medidas em campo da inteligência, econômicas e culturais, bem como novas consultas entre os estados regionais são necessárias para desarraigá-lo”, disse ele.

Por sua parte, Aliyev observou que as relações do seu país com o Irã estavam a nível mais alto, expressando confinante de que ambos os lados desenvolveriam essas relações no futuro. Ele acrescentou que Baku considerou o terrorismo como uma ameaça comum contra todos os países regionais e estava interessado em uma cooperação mais eficaz com o Irã para combater este fenômeno ameaçador.

 


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Arbaeen
Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA