O Twitter bloqueia as contas dos iranianos, negligencia a propaganda da “mudança de regime”

O Twitter bloqueia as contas dos iranianos, negligencia a propaganda da “mudança de regime”

O chanceler iraniano, Mohammad Javad Zarif, afirma que o Twitter bloqueou as contas de "verdadeiros iranianos", mas ignora a propaganda de "mudança de regime" que sai de Washington.

Zarif fez as declarações em um post em sua página oficial no Twitter no domingo, dirigindo-se a Jack Patrick Dorsey, co-fundador e CEO do Twitter. Ele disse que as contas de iranianos, incluindo apresentadores de TV e estudantes, foram fechadas por supostamente serem parte de uma "operação de influência".

"Que tal olhar para robots em Tirana usados ​​para sustentar a propaganda da 'mudança de regime' expelida pela DC?"

o chefe da diplomacia iraniana perguntou em alusão à organização Mujahedin-e Khalq (MKO), que atualmente tem sede na capital albanesa.

Em agosto, o Google removeu 39 canais do YouTube ligados à emissora estatal iraniana. O Google encerrou essas contas, juntamente com seis blogs em seu serviço do Blogger e 13 contas do Google+ vinculadas ao Irã. A decisão veio depois que o Twitter e o Facebook também bloquearam centenas de contas por suspeita de possíveis ligações com o Irã.

O MKO tem uma história sombria de assassinatos e bombardeios contra o governo e a nação iraniana. Notoriamente ficou ao lado do ex-ditador iraquiano, Saddam Hussein, em sua guerra de oito anos contra o Irã na década de 1980. O grupo tem estado por trás da maioria dos ataques terroristas, que custaram à vida de quase 17 mil iranianos desde a vitória da Revolução Islâmica no Irã em 1979.

Inicialmente designado como uma organização terrorista pela Europa e pelos EUA, o grupo estabeleceu laços estreitos com os partidos políticos ocidentais. Nos últimos anos, vários relatos da mídia surgiram sobre figuras políticas importantes nos EUA e na Europa recebendo dinheiro do MKO para falar favoravelmente do grupo terrorista.

Em setembro de 2016, os últimos membros remanescentes do grupo terrorista foram transferidos de Campo de Liberdade (Hurriya), uma antiga base militar dos EUA, perto da capital iraquiana Bagdá, para a Albânia. O Iraque há muito instou os remanescentes do MKO a deixar o país, mas um despejo completo dos terroristas foi dificultado como resultado do apoio dos EUA e dos países europeus ao grupo.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018