Revolução islâmica, a única sobrevivida no mundo, completará 39 anos

Revolução islâmica, a única sobrevivida no mundo, completará 39 anos

Os iranianos celebram o triunfo da Revolução Islâmica entre 1 e 11 de fevereiro, um período que se chama "Daheye Fajr" ou "Década de Alvorada", e que lembra o retorno do exílio do Imam Khomeini (que descanse em paz) ao Vitória definitiva da revolta popular e Revolução.

Este ano marca o 39º aniversário da vitória da Revolução Islâmica, liderada pelo aiatolá Khomeini, que lembra o dia em que os iranianos puseram fim ao regime monárquico de Xá Mohammad Reza Pahlavi. "A revolução islâmica é a única revolução que sobreviveu no mundo", disse Mustafa Habibi, oficial do Corpo de Guardas da Revolução Islâmica (IRGC) no inicio da comemoração desta década auspiciosa. A mudança do sistema no Irã foi interpretada como uma fraqueza do regime israelense, importante aliado de Pahlavi e um grande obstáculo para os planos hegemônicos dos Estados Unidos. e seus aliados, que nessas quatro décadas não pararam de tramas contra o Irã.

No entanto, o povo iraniano neutralizou os planos dos inimigos e demonstrou seu apoio à Revolução Islâmica.

Durante a monarquia absoluta do rei Pahlavi, as pessoas não podiam se manifestar na eleição e eleger as suas autoridades, mas agora certas eleições gerais permitem que o povo escolha direita ou indiretamente seus representantes.

A participação do povo iraniano nas eleições atingiu níveis recordes. Nas últimas eleições realizadas em maio de 2017, quase 73% dos cidadãos com direito a voto foram às urnas.

O Irã ocupa uma posição relevante na região do Oriente Médio, incluso prestou apoio aos Governos do Iraque, Síria Na luta contra terrorismo, conseguindo a eliminar quase por completo este flagelo. Teerã também tem sido a peça chave em diálogos pela paz na Síria.

Apesar das servas sanções contra o Irã, o país conseguiu impulsar o seu poderio e tem melhorado a sua defesa aérea, terrestre e marítima, elevando as capacidades dissuasivas, incluindo a autossuficiência na produção de equipamentos militares necessários.

É por isso que a República Islâmica sempre enfatizou que sua capacidade militar é defensiva perante as ameaças estrangeiras. O país teve também muitos sucessos em outras áreas, como a economia e a indústria, enquanto conseguiu reduzir a dependência do petróleo ao aumentar a exportação de outros produtos nacionais.

Também, desenvolveu a indústria do turismo e facilitou a  emissão eletrônica de vistos aos cidadãos de mais de 180 países, que agora podem receber seus vistos no aeroporto internacional na ilha de Qeshm, a leste do Golfo Pérsico.

Cientistas iranianos fizeram avanços importantes em nanotecnologia, campo de células-tronco, fabricação de medicamentos e construção de  usinas nucleares.

No entanto, esta é uma pequena anotação das grandes realizações que o Irã alcançou nestas quatro décadas.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016