Unidade dos países muçulmanos, necessidade vital do mundo muçulmano.

Unidade dos países muçulmanos, necessidade vital do mundo muçulmano.

Líder da Revolução Islâmica, aiatolá Seyed Ali Khamenei diz que as relações mais próximas e a sinergia entre os países muçulmanos são as necessidades mais importantes do mundo muçulmano.

O líder fez os comentários em uma reunião nesta sexta-feira com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que está em Teerã para participar de uma cúpula trilateral, organizada pelo presidente iraniano Hassan Rouhani e também com a presença do líder russo Vladimir Putin, focando na Síria.

“A proximidade e a cooperação entre os países islâmicos certamente abrirão caminho para resolver os problemas de nossa região; por essa razão, a Frente de Arrogância, com os  EUA no topo, está preocupada com a cooperação e as relações amistosas dos países islâmicos e com a formação de uma potência islâmica.

Ele descreveu essa preocupação como a razão por trás da animosidade dos EUA em relação a poderosos países islâmicos e acrescentou: “A República Islâmica do Irã e a Turquia são dois países poderosos e dignos da região e compartilham interesses comuns no mundo muçulmano; portanto, as relações e cooperações políticas e econômicas entre os dois países devem se expandir e ampliadas”.

O Líder apontou a cooperação positiva entre Teerã e Ancara e ressaltou a importância de fortalecer as bases comuns entre os dois lados. Ele referiu-se à cooperação existente e às boas relações entre a República Islâmica do Irã e a Turquia desde a chegada ao poder do movimento pró-islâmica na Turquia, e enfatizou: “As semelhanças devem ser reforçadas o máximo possível”.

Aiatolá Khamenei apreciou as posições tomadas por Recep Tayyip Erdogan, incluindo sobre a questão de Mianmar, referindo-se à questão da Palestina e reiterou: “A causa palestina ainda é muito importante e não deve ser ignorada nem por um segundo.”

Durante essa reunião, na qual Eshagh Jahanguiri, o primeiro vice-presidente do Irã também estava presente, o presidente turco considerou a situação da região como crítica, e esperançou que através da cooperação entre os países islâmicos, os problemas da região fossem resolvidos. Erdogan considerou a falta de coerência e unidade entre os países islâmicos como a razão por trás da situação atual e declarou: “Como resultado do comportamento do Ocidente em relação aos países islâmicos independentes, a situação se tornou extremamente sensível. Pela mesma razão, a solidariedade e a fraternidade devem se expandir, em particular, entre a República Islâmica do Irã e a Turquia.”.

Ele acrescentou que a situação na região tem maior sensibilidade devido à abordagem do Ocidente em relação aos países muçulmanos independentes e pediu ao Irã e à Turquia que desenvolvam relações mais cordiais.

 

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018