Zarif: Os americanos não conseguem evitar que o Irã se beneficie da JCPOA

  • Código da notícia : 847051
  • Font : parstoday
Brief

O ministro das Relações Exteriores, Mohammad Javad Zarif, disse que os americanos não conseguem evitar que o Irã se beneficie do Plano Conjunto de Ação Conjunto entre o Irã e o G5 + 1 (EUA, Reino Unido, Rússia, França e China, e Alemanha).

De acordo com o relator da Comissão de Segurança Nacional e Política Externa de Majlis (parlamento) Hossein Naqavi Hosseini, Zarif fez as declarações em uma reunião com os membros da comissão na terça-feira.

"A escalação das tensões e o gerenciamento de tensão com os EUA estão entre as prioridades do Ministério das Relações Exteriores", disse ele ao elaborar os programas do Ministério dos Negócios Estrangeiros para o segundo mandato no cargo do presidente Hassan Rouhani.

"Queremos paz entre os países e não queremos tensão", acrescentou Zarif.

Ele disse que o Ministério das Relações Exteriores está empenhado em defender os interesses do Irã consagrados na JCPOA.

"Os próprios americanos deveriam pagar os custos da rescisão potencial da JCPOA", acrescentou o ministro das Relações Exteriores.

Zarif disse que a enorme participação das delegações estrangeiras na cerimônia de inauguração do Presidente Rouhani significa que a política de isolamento da República Islâmica falhou e seu argumento da Iranofobia foi frustrado.

Ele sublinhou o estabelecimento do departamento econômico no Ministério das Relações Exteriores para impulsionar as relações econômicas e comerciais entre a República Islâmica do Irã e outros países.

As questões regionais e a ativação da diplomacia no campo econômico são as principais prioridades do Ministério das Relações Exteriores no futuro governo, disse Zarif, acrescentando que este Ministério fará o possível para apoiar o setor privado.

 308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA

A MENTIRA