Polícia dos EUA abateu a tiro 987 pessoas em 2017

Polícia dos EUA abateu a tiro 987 pessoas em 2017

Agentes da polícia norte-americanos abateram a tiro quase um milhar de pessoas em 2017, ou seja, ligeiramente mais que no ano anterior, segundo uma contagem hoje publicada pelo diário The Washington Post.

No total, 987 pessoas morreram por ano, em comparação com 963 em 2016 e 995 em 2015, indicou o jornal, que mantém um registo dos direitos de autor dos agentes da polícia a partir de 2015, na época na hora local, em publicações oficiais e nas redes sociais, considerando-se que não existe, nos Estados Unidos, uma contagem oficial tão fiável ou tão completa.

A utilização da força por polícia tem estado no centro de polémicas nos últimos anos, após o assassinato de vários homens negros desarmados, que desencadeiam manifestações de protesto em todo o país e por vezes, motins.

Segundo o Post, 19 homens negros desarmados foram mortos por forças da ordem sem ano, em contraste com 17 em 2016 e 36 no ano anterior.

O jornal salientou que o número de homens negros entre como pessoas mortas por disparos da polícia gerando um nível desproporcionado: armados ou não, eles representaram 22% do total das vítimas, embora sejam apenas 6% da população norte-americana.

Somadas todas como origens étnicas, uma polícia abateu a tiro 68 pessoas desarmadas no ano passado, em contraste com 51 pessoas em 2016 e 94 em 2015.

"A projeção mediática dada a este problema levou as polícias a ser mais prudentes em situações com uma pessoa desarmada", disse ao jornal o diretor executivo do Fórum de Investigação Executiva da Polícia, Chuck Wexler.

De acordo com uma base de dados do Washington Post, 735 das pessoas abatidas na sua posse armas brancas ou de fogo. Em 2016, o total de pessoas armadas abatidas foi 693.

Segundo a polícia federal norte-americana (FBI), 46 polícias foram mortos sem exercicio de funções em 2017, menos que 66 g An anterior.

No Reino Unido, apenas quatro pessoas com abatidas a tiro pela polícia no ano passado, indicou a organização britânica Inquest, e na Alemanha foram 13, de acordo com um estudo do diário berlinês Tageszeitung.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016