Trump prediz novo ataque contra Síria: 'Rússia, prepare-se'

Usando sua ferramenta predileta de comunicação com o mundo exterior, ou seja, o Twitter, o presidente dos EUA lançou avisos provocatórios na manhã de quarta-feira (11).

"A Rússia promete abater quaisquer mísseis disparados contra a Síria. Prepare-se, Rússia, pois eles estão chegando, bons, novos e 'inteligentes'! Você não deveria se ter aliado ao animal assassino com gás que mata o seu povo e gosta disso!", escreveu o líder estadunidense na sua página.

Russia vows to shoot down any and all missiles fired at Syria. Get ready Russia, because they will be coming, nice and new and “smart!” You shouldn’t be partners with a Gas Killing Animal who kills his people and enjoys it!


​O anúncio aparece na sequência da declaração do presidente feita em 9 de abril, quando Trump afirmou que nas 48 horas seguintes ele e sua administração decidiriam como os Estados Unidos iriam responder ao suposto ataque químico da cidade síria de Douma.

Hoje de manhã, a mídia relatou que Trump e seus assessores estariam considerando uma "poderosa" resposta militar ao suposto uso de uma bomba de cloro, considerando isso a única maneira de impedir futuros ataques do tipo.
A agência de notícias turca Yeni Safak informou, citando suas fontes, que Washington já teria escolhido 22 alvos, inclusive russos, na Síria.

Porém, passada uma meia hora, o líder dos EUA parece ter abrandado a retórica, se perguntando se chegou a hora de por fim à corrida armamentista.

"Nosso relacionamento com a Rússia hoje é pior que nunca, inclusive na época da Guerra Fria. Não tem motivo para isso. A Rússia precisa de nós para salvar sua economia, algo bem fácil de fazer, e precisamos que todas as nações cooperem. Terminar a corrida armamentista?", publicou.

Vale ressaltar que, em 2013, na época da presidência de Barack Obama, que também considerou as mesmas variantes de agressão militar contra a Síria, Trump expressou uma opinião completamente oposta.

"Não ataquem a Síria — esse ataque não vai trazer nada senão problemas para os EUA. Se foquem em fazer nosso país forte e grande de novo!", escreveu ele no Twitter em 9 de setembro de 2013.

Have you called your representative and/or the White House yet?… NO to war in Syria! You can even use Donald Trump's own words prior to becoming president:

​Já a chancelaria russa, representada por Maria Zakharova, se apressou a comentar a declaração provocatória de Trump, assinalando que os ataques norte-americanos deveriam ter como alvo os terroristas e não o governo do país que combate ao terrorismo.

"Os mísseis inteligentes devem voar em direção dos terroristas e não de um governo legítimo que luta contra o terrorismo internacional no seu território por muitos anos", escreveu Zakharova no Facebook.

Além disso, a representante oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia sugeriu qual o objetivo que, de fato, estaria por trás do ataque planejado.

"A propósito, os inspetores da OPAQ [Organização para a Proibição de Armas Químicas] foram avisados de que agora os mísseis inteligentes vão destruir todas as provas de uso das armas químicas no terreno? Ou toda a ideia consiste em rapidamente se livrar dos vestígios de uma provocação [com cloro] através de mísseis inteligentes, para que os inspetores internacionais já tenham nada para buscar como provas?", escreveu a diplomata.

308


Conteúdo relacionado

Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2018