Rouhani: As sanções prejudicam o povo iraniano e não o governo

  • Código da notícia : 841810
  • Font : parstoday
Brief

O presidente do Irã, Hassan Rouhani, ressaltou que as sanções que foram impostas ao país em relação ao seu programa nuclear afetaram a nação iraniana e não o governo, contrariamente ao que reivindicavam os responsáveis pelas sanções.

"Apesar do que o mundo ocidental reivindicaria as sanções não prejudicaram o governo, mas afetaram o povo. Quando as sanções são impostas às [vendas de] nosso petróleo, e as receitas do país diminuem [como resultado], todos os serviços governamentais [para o público] são afetados”, disse o presidente Rouhani na terça-feira.

O presidente iraniano, que falava em uma conferência de saúde em Teerã, disse que as sanções "cruéis" até causaram problemas na aquisição de equipamentos médicos, medicamentos e matérias-primas farmacêuticas.

Ele se referiu aos esforços de sua administração para se envolver mais profundamente nas negociações com um grupo de potências mundiais sobre as proibições e disse: "A primeira coisa que precisou ser resolvida foi à questão das sanções". Rouhani precisou que a diplomacia iraniana, apoiada pela força popular, provou como se pode ter sucesso contra as maquinações de grandes potências mundiais.

O programa nuclear iraniano foi objeto de uma disputa global durante mais de uma década, durante a qual o Irã se comprometeu em negociações para resolver o assunto de forma diplomática. Mas não foi até 2013, quando o presidente Rouhani assumiu o cargo, quando as negociações entre o Irã e seus últimos interlocutores ganharam impulso crescente.

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Mohammad Javad Zarif, diplomata veterano e, uma vez embaixador do Irã nas Nações Unidas, foi encarregado pelo presidente Rouhani de pegar o arquivo nuclear. Zarif e seu time participaram de 22 meses de negociações difíceis com representantes de seis potências mundiais e a Europa União antes de conseguirem chegar a um acordo em julho de 2015, terminando praticamente a longa disputa.

Segundo o acordo, que entrou em vigor em janeiro de 2016, o Irã colocou certos limites em seu programa nuclear em troca, entre outras coisas, da remoção de todas as sanções nucleares impostas à República Islâmica no que foi saudado como façanha diplomática.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Notícias do luto ao Imam Hussein pelo mundo
Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA

A MENTIRA