Nigerianos realizam demonstração em solidariedade com o clérigo do Bahrein xeque Qassim

  • Código da notícia : 800687
  • Font : parstoday
Brief

Centenas de pessoas organizaram uma manifestação em massa na Nigéria para expressar sua solidariedade com o proeminente clérigo xiita de Bahrein xeque Isa Qassim, que foi despojado de sua nacionalidade e convocado para participar de uma audiência na corte.

Os manifestantes realizaram uma manifestação na segunda maior cidade de Kano, na Nigéria, depois das orações das sextas-feiras para expressar seu forte apoio ao clérigo de 79 anos e denunciar uma recente investida contra seus seguidores.

Eles realizaram imagens do xeque Qassim e do xeque Ibrahim Zakzaky, o líder do Movimento Islâmico na Nigéria (IMN), que criticou o apoio da Arábia Saudita ao regime de Manama.

"Nós reunimos aqui para condenar o ataque [da quarta-feira] do regime do Bahrein ao protesto sentado perto da residência de xeque Qassim" na aldeia noroeste do país árabe de Diraz, disse o xeque Abdul Qadir Sanusi, um porta-voz da IMN.

Ele também censurou a revogação da nacionalidade clérigo sênior bareiníes, assim como a contínua perseguição de Manama aos muçulmanos xiitas.

O regime de Al-Khalifah pressionou acusações de "coleta ilegal de fundos, lavagem de dinheiro e ajuda ao terrorismo" contra o xeque Qassim. Ele rejeitou firmemente as acusações.

Em 20 de junho, as autoridades do Bahrein destituíram o clérigo, que é o líder espiritual do bloco dissidente de oposição do Bahrein, Al-Wefaq, Sociedade Nacional Islâmica, de sua nacionalidade.

Mais tarde dissolveram a Instituição Islâmica do Iluminismo, fundada por xeque Qassim, além da Associação Islâmica de oposição al-Risala.

Milhares de manifestantes anti-regime têm realizado inúmeras manifestações no Bahrein quase diariamente desde que uma revolta popular começou no reino em 14 de fevereiro de 2011.

Eles estão exigindo que a dinastia Al-Khalifah renunciasse do poder e exigem o  estabelecimento de um sistema justo representativo de todos os Bahreinis.

Manama se esforçou para reprimir os dissidentes e ativistas dos direitos humanos. Em 14 de março de 2011, tropas da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos foram enviadas ao Bahrein para ajudar o governo de Manama em sua repressão. Dezenas de pessoas perderam a vida e centenas de outras sofreram ferimentos ou foram presas como resultado da repressão do regime de Al-Khalifah contra ativistas anti-regime.

308


Conteúdo relacionado

Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Mensagem do Imam Khomeini para os muçulmanos do mundo pela ocasião do Hajj 2016
A MENTIRA

A MENTIRA

O Perdão

O Perdão