?>

Acordo entre China e Irã visa expandir interesses comuns de maneira mutuamente benéfica, diz Zarif

Acordo entre China e Irã visa expandir interesses comuns de maneira mutuamente benéfica, diz Zarif

Mohammad Javad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irã explicou "alguns pontos" do histórico acordo de cooperação que foi recentemente assinado entre Pequim e Teerã.

Em uma mensagem divulgada nesta quinta-feira (1º) em sua conta no Instagram, o chefe da diplomacia iraniana ressaltou que a Parceria Estratégica Global sino-iraniana se concentra em uma "promoção prática" de laços bilaterais e fornece "um roteiro e um horizonte duradouro" para desenvolvimento de tais relações.

Segundo Zarif, o acordo abre caminho para uma colaboração plena sino-iraniana nas esferas política, econômica, comercial, cultural, de defesa e de segurança.

O chanceler iraniano acrescentou que o acordo prevê os princípios do "respeito mútuo e da prossecução de interesses comuns de uma forma vantajosa para todos no que diz respeito a relações bilaterais, regionais e internacionais".

"O documento não é um contrato nem uma convenção. Não cria nenhuma obrigação para nenhuma das partes, mas, sim, traça uma perspectiva das relações" sino-iranianas, observou Zarif.
O chanceler iraniano afirmou ainda que o acordo "não cede direitos a nenhuma região ou a um local e não cria quaisquer direitos exclusivos em qualquer domínio", observando que "este documento não prevê implantação de forças militares e não há possibilidade de assumir uma base [militar]".

Javad Zarif ressaltou que, em termos de relações econômicas bilaterais, o acordo estipula a cooperação de ambos os países nos setores petrolífero, mineiro e energético, bem como a contribuição do Irã para a iniciativa chinesa Um Cinturão, Uma Rota.

Pequim assinou neste sábado (27) um acordo de 25 anos com Teerã para aumentar a cooperação abrangente.

Do lado chinês, haveria expansão da presença chinesa em bancos, telecomunicações, portos, ferrovias e outros setores. Em troca, a China receberia um suprimento regular e com grandes descontos de petróleo iraniano.
Embora o acordo tenha sido anunciado como valendo US$ 400 bilhões (cerca de R$ 2 trilhões), os ministérios das Relações Exteriores dos dois países não confirmaram o valor negociado.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*