?>

Dez minutos de destruição: testemunha relata terremoto causado após explosão em Beirute

Dez minutos de destruição: testemunha relata terremoto causado após explosão em Beirute

Uma testemunha relatou que o impacto causado pela forte explosão ocorrida nesta terça-feira (4) em Beirute causou uma onda de destruição que durou "dez minutos seguidos".

Segundo autoridades do Líbano, a explosão, que ainda não teve uma causa identificada, deixou mais de 70 mortes e mais de 4.000 pessoas feridas. A previsão é de que o número de vítimas fatais aumente ainda mais.

Segundo uma testemunha, tudo começou com um uma forte rajada de vento, que cresceu de intensidade durante alguns segundos. Em seguida, houve uma forte explosão, que se assemelhou a um terremoto, balançando janelas e paredes.

"Depois disso, a onda de impacto começou a quebrar janelas. Escutamos o som de uma explosão e os tremores se intensificaram. Tudo foi sendo destruído por dez minutos seguidos, enquanto pessoas fugiam para o lado de fora dos prédios em pânico", disse a testemunha para a Sputnik.

"E então, de repente, tudo ficou quieto", acrescentou.

Força de um terremoto de 3,5 graus
O impacto da explosão, mais destrutiva da história do Líbano, atingiu a força de um terremoto de 3,5 graus nas escala Richter, informou o Centro de Pesquisa Alemão para Geociências, segundo publicado pela agência AP. Segundo estimativas do Observatório Sismológico da Jordânia, a explosão teve a força de um terremoto de magnitude 4,5 na escala Richter. Além disso, o barulho foi escutado a uma distância de até 200 quilômetros, chegando até o Chipre.

Brasileiros que moram em Beirute também relataram a sensação de estar em meio a um tremor de terra.

A explosão aconteceu na área portuária da capital libanesa, deixando um rastro de danos na região e no centro da cidade. A tragédia ocorre em um momento em que o país lida com a pandemia do coronavírus e uma crise econômica.

Toneladas de nitrato de amônio
Segundo o Ministério do Interior, a explosão pode ter sido causada pela detonação de mais de 2.700 toneladas de nitrato de amônio armazenadas em um depósito no porto.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, por sua vez, disse que generais norte-americanos acreditam que a explosão foi causada por uma bomba.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*