?>

Petróleo em 1º lugar: o aiatolá Khamenei nomeia condições para redução das atividades nucleares

Petróleo em 1º lugar: o aiatolá Khamenei  nomeia condições para redução das atividades nucleares

O líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, declarou que seu país voltará a cumprir o Plano de Ação Conjunta Global (JCPOA, na sigla em inglês) após assegurar que as sanções foram canceladas não só "em palavras", mas sim, de verdade.

 o aiatolá Ali Khamenei explicou que esta verificação incluiria a venda de uma remessa de petróleo, que seria concluída através de uma transferência sem impedimentos do pagamento pelo petróleo bruto vendido.

"A verificação [do cancelamento de sanções dos EUA] significa [que o Irã será capaz de] vender petróleo de maneira oficial, com facilidade e em condições normais, e que o dinheiro será recebido pelo Irã", esclareceu o líder da nação persa, citado pelo Press TV.
 o aiatolá Khamenei continuou reiterando que os Estados Unidos devem cancelar todas as sanções da República Islâmica se quiserem que o Irã volte ao cumprimento completo do acordo nuclear. Ele adicionou também que Teerã não tem pressa em termos do regresso de Washington ao JCPOA.

Ao mesmo tempo, o líder iraniano ressaltou que Teerã não cederá à demanda norte-americana para que o país dê o primeiro passo e volte a respeitar as disposições do acordo. Ele explicou que a decisão iraniana de aumentar o enriquecimento de urânio além do limite, em 3,66%, bem como exceder limitações de armazenamento de combustível nuclear foi uma resposta correta à violação de disposições do tratado por outros signatários do acordo.

O líder supremo também se referiu à condenação anterior feita pela República Islâmica sobre os países europeus serem incapazes de proteger o Irã das sanções norte-americanas, e assim assegurar a venda, sem obstáculos, de seu petróleo no exterior.

As declarações do líder iraniano chegaram na sequência dos diálogos em Viena, onde o Comitê Conjunto dos Signatários do JCPOA e os Estados Unidos tentam elaborar o caminho para garantir o regresso ao cumprimento do acordo nuclear por todas as partes, em especial, o retorno do Irã e dos EUA.

O último foi o responsável pela condição atual do acordo nuclear: os Estados Unidos saíram do JCPOA em 2018 e impuseram sanções econômicas contra a nação persa, incapacitando seu comércio de petróleo e cortando o país do sistema bancário global. A nova administração Biden expressou interesse em voltar a se juntar ao tratado, mas exige que Teerã faça os primeiros esforços, porém, o Irã veemente rejeitou estas propostas.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*