?>

Suspensão de sanções anti-iranianas pelos EUA é 1º passo para restaurar JCPOA, diz Irã

Suspensão de sanções anti-iranianas pelos EUA é 1º passo para restaurar JCPOA, diz Irã

Abbas Araghchi, vice-chanceler do Irã, reiterou nas discussões oficiais em Viena, Áustria, que Teerã regressará ao acordo nuclear com a remoção das sanções. A Rússia considerou o encontro um sucesso.

O primeiro passo e o "mais necessário" para restaurar o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês), ou acordo nuclear, é Washington levantar as sanções contra Teerã, disse na terça-feira (6) em Viena, Áustria, Abbas Araghchi, vice-ministro das Relações Exteriores do Irã.

"A suspensão das sanções dos EUA é o primeiro e mais necessário passo para restabelecer o Plano de Ação Conjunto Global", disse Araghchi durante reunião presencial da comissão conjunta do JCPOA.
"O Irã está totalmente preparado para suspender suas medidas corretivas, voltando à plena implementação do JCPOA uma vez que as sanções sejam suspensas e verificadas", sublinhou.

Reunião em Viena
Não houve contatos diretos entre Teerã e Washington, apesar da presença de uma delegação dos EUA. Segundo Mikhail Ulyanov, representante permanente da Rússia junto a organizações internacionais em Viena, e que chefiou a delegação russa, a reunião do JCPOA decorreu entre diretores políticos em formato presencial.


A reunião da Comissão Conjunta sobre o JCPOA foi concluída com bastante sucesso. Os dois grupos de especialistas – sobre a suspensão de sanções e sobre questões nucleares – foram encarregados de elaborar listas de medidas a serem tomadas para o regresso à plena implementação do JCPOA. Os especialistas vão iniciar os trabalhos imediatamente.

Em 2015, o Irã assinou o JCPOA com a China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido, EUA, Alemanha e União Europeia. O acordo exigia que o Irã reduzisse seu programa nuclear e as reservas de urânio em troca de alívio das sanções, incluindo o levantamento do embargo de armas cinco anos após a adoção do acordo. Em 2018, os EUA abandonaram o acordo durante a administração de Donald Trump (2017-2021) e implementaram sanções duras contra Teerã.

Como resultado, o país persa começou gradualmente a abandonar seus compromissos com o JCPOA.
Em dezembro de 2020, o Irã aprovou uma lei para aumentar seu enriquecimento de urânio e limitar as inspeções da ONU de suas instalações nucleares em resposta à morte do cientista nuclear Mohsen Fakhrizadeh. Teerã tem afirmado que regressará imediatamente ao cumprimento pleno do acordo nuclear assim que as sanções ao país sejam retiradas.

308


Envie seu comentário

Seu e-mail não poderá ser publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *.

*